‘Campo conectado’ abre espaço para novas interações entre empresas do agronegócio .

‘Campo conectado’ abre espaço para novas interações entre empresas do agronegócio .

Incorporação de tecnologias de agricultura de precisão e adoção da agricultura digital estão transformando a paisagem, rotinas, processos e hábitos do homem do campo.

Há muito tempo máquinas e equipamentos vêm contribuindo para tornar a agricultura cada vez mais competitiva e produtiva. A incorporação de tecnologias de agricultura de precisão e mais recentemente a adoção da agricultura digital, com a possibilidade de conexão via internet de máquinas e serviços, estão transformando a paisagem, rotinas, processos e hábitos do homem do campo.

De acordo com dados da última edição da pesquisa Hábitos do Produto Rural, realizada pela Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócios (ABMRA), 4 em cada grupo de 10 produtores acessaram a internet nos últimos 10 dias. Entre os produtores que acessaram a internet, 93% visitaram redes sociais.

Atenta a esse cenário, a Jacto, empresa de máquinas e equipamentos agrícolas, líder em pulverização e colheita de café, fez um movimento para estar cada vez mais presente nesse novo espaço.

Estreitando seu canal de relacionamento com os clientes e público em geral, a Jacto está presente em várias mídias sociais, como Facebook, Instagram, Twitter e Youtube por meio da identificação Jacto Agrícola.

Este ano, a empresa estreou um blog com foco na disponibilização de conteúdo atualizado sobre suas principais tecnologias, serviços e equipamentos.

Drones, veículos autônomos, máquinas conectadas, agricultura de precisão, biotecnologia, internet das coisas e big data são alguns dos novos aspectos do trabalho no campo. Quando utilizadas em conjunto, essas técnicas têm como objetivos principais melhorar a produtividade e a eficiência na utilização de insumos, reduzir custos, aumentar a segurança dos trabalhadores e diminuir os impactos ambientais causados pela atividade agrícola.

Um exemplo desse futuro está sendo estudado pela Jacto. Ao longo dos últimos 7 anos a empresa já apresentou ao mercado 2 versões do JAV, do inglês Jacto Autonomous Vehicle, que é um veículo autônomo para uso na atividade de pulverização. A máquina poderá ser utilizada tanto em ambientes controlados, como estufas, quanto em culturas perenes ou extensivas. O equipamento poderá ser controlado remotamente por um operador que pode gerenciar vários equipamentos ao mesmo tempo.

“A agricultura 4.0 surge como uma importantíssima ferramenta, pois a aplicação de técnicas sustentáveis no campo deixou de ser uma tendência revolucionária e se tornou uma necessidade para a garantia do abastecimento da cadeia produtiva de alimentos para as próximas gerações”, explica Fernando Gonçalves, presidente da Jacto.