Promotor alega risco de incêndio e pede interdição do camelódromo

Promotor alega risco de incêndio e pede interdição do camelódromo

O promotor José Alfredo de Araújo Sant’Anna pediu nos últimos dias a interdição do camelódromo localizado no Centro de Marília. O motivo alegado é o risco de um incêndio  no local e a decisão agora cabe ao Judiciário.

O membro do Ministério Público Estadual confirmou nesta segunda-feira (24) o pedido de interdição e lembrou que há anos vem tomando medidas ao seu alcance para que a Prefeitura de Marília resolva o que ele considera uma “grave ameaça” a quem frequenta o camelódromo.

Entre os problemas já apontados no histórico estão falhas em sistemas de alarmes, extintores descarregados, fiação exposta e “gambiarras”.

Em 2010 foi assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) prevendo reformas para adequação do prédio e das instalações elétricas do camelódromo.

O acordo não foi cumprido e dois anos depois foi iniciada um ação de execução do descumprimento do TAC. Desde então a realização de duas perícias na área teriam confirmado que não houve melhoria na situação do espaço público.

As irregularidades que provocam o risco de um incêndio no local teriam inclusive se agravado. Centenas de pessoas frequentam o ponto comercial diariamente.

A área fica ao lado do Terminal Urbano de Marília.

Fonte: MariliaNoticias